O SOLDADO PRÁTICO – Henrique de Paiva Couceiro – 1936

SKU 9257 Categoria

Descrição

O SOLDADO PRáTICOHenrique de Paiva Couceiro

Lisboa 1936.Br., 434 pags, 22×14 cm. Nota:HENRIQUE MITCHELL DE PAIVA COUCEIRO(1861-1944)Nasceu em Lisboa, no dia 30.12.1861, e morreu na mesma cidade, em 11.11.1944.Assentou praça no regimento de cavalaria Lanceiros de El-Rei, em 1879, e matriculou-se no curso de artilharia na Escola do Exército, em 1881. Em 1889 teve uma Comiss;o de serviço em Angola, na qual se destacou e se mostrou inteligente e destemido, nomeadamente na ocupaç;o do Bié, em 1891, para vingar a morte de Silva Porto. Em 1893 conseguiu a medalha de Mérito Militar pela sua prestaç;o ao lado dos Espanhóis no combate aos Mouros em Rif (Norte de áfrica).Em 1894, o Conselheiro António Enes, o Grande Comissário Régio de Moçambique, nomeou Paiva Couceiro seu ajudante de campo. Em 1985, acompanhados por Freire d’Andrade e pelo médico Dr. Braguinha desembarcaram em Lourenço Marques num cenário de insurreiç;o. Paiva Couceiro e Freire d’Andrade integraram as tropas de Caldas Xavier, iniciando-se o combate de Marracuene, cujas intervenções permitiram evitar a perda total do distrito de Lourenço Marques.Em 1907, após ter sido feito cavaleiro da Ordem de S;o Bento de Avis e comendador da Torre e Espada, por indicaç;o real, foi nomeado Governador Geral de Angola. Dedicou a sua vida a tal provincia, chegando mesmo, em Março de 1909 a recusar ser promovido a major, por n;o querer abandonar Angola, enquanto n;o fosse exonerado. Em Julho de 1909 abandonou definitivamente o Governo de Angola.Em Setembro de 1910, já no continente, bateu-se contra os republicanos com apenas quatro peças das baterias de Queluz.Em Abril de 1911, seis meses após a implantaç;o da Republica, apresentou a demiss;o de oficial do exército e pronunciou a célebre frase: “-Revolto-me contra a Republica para salvar Portugal!”. Emigrou para Espanha onde tentou que fosse feito um plebiscito para legitimar o Governo português. Seguiram-se os acontecimentos conhecidos como as “incursões monárquicas”.Em 19.01.1919, no Norte do Pais, proclamou a “Monarquia do Norte”, autorizado pelo lugar-tenente de D. Manuel II, o conselheiro Aires de Ornelas. Houve uma rebeli;o em Lisboa que foi prontamente dominada e a própria Monarquia do Norte desapareceu em 13.02.1919, exilando-se Paiva Couceiro em Espanha.Mais tarde regressou ao pais dedicando-se a um trabalho de publicista militar, Em 1935 foi expulso para Espanha durante 6 meses e em 1937 foi igualmente expulso pelas suas atitudes inconformistas e criticas em relaç;o ao Governo das Colónias Ultramarinas. Desta segunda vez acabou por ser deportado pelo governo espanhol para Granadilha, nas Canárias, em Maio de 1938, lugar onde acabou por escrever o seu polémico livro “Profissões de Fé”, em que tentava demonstrar as vantagens da Monarquia.Defendia quer para Portugal, quer para as Provincias Ultramarinas, quer para o resto do mundo, uma Monarquia Popular e Tradicional, tendo expressado tal pensamento anteriormente em 1906, no artigo “O Triângulo Estratégico e a Aliança Inglesa” publicado na Revista de Artilharia e, no ano seguinte, na revista The Royal Engineers Journal.Depois das Canárias voltou a Lisboa, onde morreu em 1944.Principal Bibliografia:•Bié — A Morte de Silva Porto, 1890;•Viagem entre Bailundo e as terras de Mucusso, 1892;•A Campanha dos Tropas Portuguesas em Lourenço Marques, 1897, em colaboraç;o com Aires de Ornelas, Eduardo Costa e Mouzinho de Albuquerque;•O Triângulo Estratégico e a Aliança Inglesa, 1906;•Angola, 1910;•Artur Paiva;•Angola, Projecto Administrativo; Angola, Projecto de Fomento;•A Democracia Nacional, 1917;•Carta aos Meus Amigos e Companheiros. Subsidios para a Obra de Ressurgimento Nacional, 1927;•A Naç;o Organizada, 1929;•O Soldado Prático, 1936;•A Profiss;o de Fé, Lusitânia Transformada, 1939-1944;•Angola Dois Anos de Governo (relatório da sua acç;o no governo de Angola, de 1907 a 1909), Lisboa, 1948, publicado, portanto, após a sua morte e por diligência dos seus melhores amigos a colaboradores.

                                                     

Views: 82

75

Produtos Relacionados

SegredosDaHistoriaLuso-Alema-RainerDaehnhardt

SEGREDOS DA HISTÓRIA LUSO-ALEMÃ – GEHEIMNISSE DER DEUTSCH-PORTUGIESISCHEN GESCHICHTE – Rainer Daehnhardt

45

HistoriadoresDoPortugalAntigo

HISTORIADORES DO PORTUGAL ANTIGO – Maria de Lurdes Belchior Pontes – 1956

15

InfanteDHenrique-CostaBrochado

INFANTE D. HENRIQUE – Costa Brochado – 1958

35

ANacionalidadePortuguesadeCristovam

A NACIONALIDADE PORTUGUESA DE CRISTOVAM COLOMBO Patrocinio Ribeiro

75

IntroducoesGeograficas

INTRODUÇÕES GEOGRÁFICAS À HISTÓRIA DE PORTUGAL – Estudo Critico Orlando Ribeiro

30

EstruturadaAntigaSociedadePortuguesa

ESTRUTURA DA ANTIGA SOCIEDADE PORTUGUESA Vitorino Magalhães Godinho

20